Onde vender sua música

Seis dicas de plataformas digitais para distribuir sua música

Ok, você criou uma música, gravou um disco ou registrou uma ideia sonora muito louca e, agora, quer mostrar pro mundo (e, quem sabe, começar seu caminho profissional na música). Mas com tantas opções de publicação virtual hoje, qual a melhor pra você?

Vamos dar uma geral nos prós e contras de algumas das ferramentas mais usadas hoje em dia para distribuir música: Continue Lendo “Onde vender sua música”

7 carreiras possíveis na música

Uma geral em algumas das carreiras possíveis na música, para quem quer viver de música, mas tem medo de não conseguir ganhar o suficiente

Muitos músicos, iniciantes ou não, têm a vontade de seguir carreira. Muitas vezes pensamos apenas naquela possibilidade que nos levou à música, sem pensar que existem várias formas diferentes de viver disso – e, não raro, usamos mais de uma!

Vamos dar uma olhada em algumas das principais carreiras dentro da música: Continue Lendo “7 carreiras possíveis na música”

Seis dicas dos compositores de Final Fantasy XV e God of War

As ideias de Shota Nakama e Gerard Marino para quem quer criar trilhas sonoras para videogames ou outras mídias

[Este post foi revisado pelos compositores. Thank you so much for your help, Mr. Marino and Mr. Nakama!]

A semana passada foi muito rica para profissionais e entusiastas do universo do áudio para games: tivemos em São paulo o Game Audio Meeting, primeiro evento exclusivo da área no Brasil, organizado pelo nosso parceiro Thiago Adamo da Game Audio Academy; e o BIG Festival, importantíssimo festival internacional voltado a jogos independentes.

Ambos os eventos foram recheados de palestras importantes, entre as quais as dos ícones Shota Nakama, arranjador e um dos compositores de Final Fantasy XV e Kingdom Hearts 2.5 (sim, ele já sabe  com o que o nome dele se parece em português e também faz piadas a respeito!) e Gerard Marino, compositor da série God of War. Os dois deram dicas valiosíssimas para quem trabalha ou quer trabalhar com trilhas sonoras, de games ou não, e eu selecionei seis delas para compartilhar aqui: Continue Lendo “Seis dicas dos compositores de Final Fantasy XV e God of War”

Sintetizadores virtuais gratuitos e pagos para produzir música em casa

Sons eletrônicos de todos os tipos para o seu arsenal!

Para produzir música em casa (ou em qualquer lugar com um computador, na verdade), precisamos, no mínimo, de uma DAW e instrumentos – sejam reais ou virtuais. Os virtuais se dividem em samplers, sobre os quais já falamos, e sintetizadores.

Um sintetizador, ou synth, pode produzir som através de uma grande variedade de métodos: síntese subtrativa, aditiva, por wavetable, por modulação de frequência (FM), modelagem física, entre muitos outros.

Vamos dar uma olhada em alguns dos sintetizadores virtuais, ou soft synths, mais populares: Continue Lendo “Sintetizadores virtuais gratuitos e pagos para produzir música em casa”

13 músicas com fórmulas de compasso menos comuns (parte 2)

Complicando mais ainda suas possibilidades rítmicas para além do “1, 2, 3, 4”

Na semana passada falamos um pouco sobre compassos simples e compostos, e como existem formas diferentes de fazer música sem recorrer apenas ao “1 e 2 e 3 e 4”.

Hoje vamos dar uma olhada em compassos mistos e em músicas que misturam várias fórmulas de compasso. As músicas apresentadas neste post e no anterior estão compiladas também em uma playlist no Spotify.

Continue Lendo “13 músicas com fórmulas de compasso menos comuns (parte 2)”

13 músicas com fórmulas de compasso menos comuns (parte 1)

Referências de ritmo para você ir além do 1, 2, 3, 4 – e dar uma batida diferente pra algumas das suas músicas

Na música popular contemporânea (rock, pop, MPB, música eletrônica e tudo o mais), a maior parte do que a gente escuta usa a fórmula de compasso 4/4. Explicando de forma simples, direta e pouco teórica: podemos bater o pé junto com a música contando “1, 2, 3, 4” e isso se encaixa com a sua batida.  Continue Lendo “13 músicas com fórmulas de compasso menos comuns (parte 1)”