Como ser um compositor / sound designer para games? Um guia para iniciantes (parte 2)

Fazer ou não fazer efeitos sonoros? E quem são indie devs?

Seguindo para a parte 2 do nosso guia de áudio para games para iniciantes, o post de hoje fala sobre fazer ou não efeitos sonoros, e o que são desenvolvedores indie.

Se você não leu a parte 1, sugiro começar por ela! Semana que vem postarei o último texto da série.

Antes de começar, lembre-se de se inscrever no mailing para não perder o último post!

“Eu sou um compositor de games, eu não faço efeitos sonoros”

Então provavelmente você vai ter bastante dificuldade para começar. A maior parte dos seus projetos vão ser com desenvolvedores indie, a maioria dos quais não têm verba para pagar um valor muito alto em serviços de áudio. Se você só fizer música, eles vão ter que procurar um sound designer também, e pagar os dois.

Nobuo Uematsu
Nobuo Uematsu é uma referência em música para games. Ele trabalha apenas com música, mas começou em uma era muito diferente da indústria. Foto: David Wolff-Patrick/Redferns/Getty Images

Tem UMA TONELADA de “compositores” de games por aí que não fazem efeitos sonoros e reclamam de nunca conseguir trabalho (e ainda por cima perturbam desenvolvedores com emails e DMs genéricos pedindo trabalho). Quem oferece um one-stop-shop, ou seja, uma única “parada” onde os desenvolvedores conseguem tudo o que precisam em termos de som, acaba sendo uma alternativa mais segura e mais simples para os desenvolvedores. Se você não pretende trabalhar com efeitos sonoros, procure um parceiro que foque em efeitos sonoros, assim vocês podem oferecer seus serviços juntos.

Quando eu comecei, eu não fazia ideia de como fazer efeitos sonoros e achava que ia ser um trabalho chato. Acabei aprendendo “na raça”, ouvindo um monte de referências (quase como tirar música de ouvido) e pesquisando quando eu não fazia ideia nem de por onde começar a fazer um som. Hoje eu também me divirto buscando soluções criativas para efeitos sonoros, e de quebra consigo muito mais trabalhos graças a essa habilidade.

Indie devs

“Thiago, você falou sobre ‘indie devs’. Não sei do que você está falando.”

Chroma Squad
Chroma Squad é um jogo indie de sucesso criado pelo estúdio Behold, de Brasília

Ops, desculpe! Indie dev é um desenvolvedor independente. É bem improvável que você comece sua carreira fazendo jogos AAA, como Final Fantasy ou Fortnite – empresas grandes buscam compositores estabelecidos que já tenham trabalhado em muitos outros projetos comerciais.

Indie devs, por outro lado, são pessoas que, como você, gostam tanto de games que decidiram fazer seus próprios, seja como hobby nas horas vagas ou como parte de um time de profissionais. Muitos fazem seus projetos dos sonhos, ou, se estão começando, fazem jogos simples para aprender e ter a experiência de lançar um jogo completo (o que é bem mais difícil do que parece).

Bem, você também está aprendendo áudio para games (mesmo que você componha desde os 4 anos de idade), então por que não se unir a programadores e artistas que também estão começando? Meu primeiro jogo, Staroids: The Odyssey, foi feito nessa pegada, e eu acho que fizemos algo bem bacana considerando a pouca experiência que tínhamos na época 🙂

Bid Wars
Bid Wars é um dos jogos mais bem-sucedidos da Tapps Games, com milhões de downloads no mundo todo

Eu, particularmente, adoro trabalhar com indies e jogar jogos indie até hoje. Muitas vezes esses times têm mais liberdade do que as grandes empresas para experimentar e inovar, o que costuma ser muito bom.

E muitos deles crescem bastante. Existem alguns estúdios indie brasileiros que deram muito certo, como Behold Studio, Long Hat House, Insane, e mesmo a Tapps Games, onde eu tive o prazer de trabalhar por dois anos e que, mesmo sendo uma das maiores desenvolvedoras do país, ainda é independente.


Na semana que vem sai a parte 3 deste guia, falando sobre como conseguir seu primeiro projeto e se você deve trabalhar apenas em troca de experiência. Se você ainda não entrou no mailing, inscreva-se pra não perder o último post!

Autor: Thiago Schiefer

Thiago Schiefer é um compositor brasileiro radicado em Toronto, Canadá. Focado principalmente em música e efeitos sonoros para games nos últimos anos, foi até 2019 compositor e sound designer na Tapps Games, a maior empresa brasileira de jogos para smartphones. Hoje atua como compositor e sound designer freelancer para games, animação, e outras mídias. Em sua carreira solo, lançou o álbum Prototype: Freedom (2013), o EP Living Room Sessions (2015), e o single Augmented Limbs (2019).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s