Como fazer música investindo pouco

Home Studio

Fazer música muitas vezes pode ser um negócio caro. Só de equipamento, plugins, um computador bacana… Mas é possível, sim, fazer música com poucos recursos.

O post de hoje, então, sugerido pelo nosso leitor Elcimar, vem pra dar algumas sugestões de como produzir música gastando pouco!

Equipamento

Fones de ouvido ou monitores de referência?

Prioridade: Essencial

AKG k240 mkIIVocê precisa ter como ouvir o que está criando, certo? Então a sua primeira decisão será entre usar fones de ouvido ou monitores de referência (caixas de som feitas para profissionais de áudio).

Como estamos falando de fazer música com baixo orçamento, esqueça os monitores. Para usá-los com eficiência, você precisaria ter um ambiente tratado acusticamente, e isso custa bem caro. Muitos home studios pelo mundo afora acabam sendo equipados apenas com fones de ouvido, ou têm falantes externos só para conferir uma coisa ou outra de mixagem.

Então, vamos pensar em fones de ouvido. Você precisa procurar algo que tenha resposta de frequência equilibrada (ou seja, nada de fones EXTRA BASS ou aqueles que vieram com seu celular). Isso é importante porque, depois de mixada, sua música tem que soar bem no maior número de falantes possível. Se seu fone tem, por exemplo, reforço de graves, você pode acabar deixando a mixagem com poucos graves porque achou que aquele tanto era o suficiente (afinal, você estava ouvindo mais graves do que sua música realmente tinha).

De preferência, você também vai procurar fones abertos ou semiabertos: eles não isolam o som externo, e justamente por isso te permitem ouvir de forma mais natural.

Voxengo Span
Exemplo de mixagem com excesso de agudos e graves visualizada no Voxengo Span

Fones flat (com resposta de frequência ampla equilibrada) são caros, então pro nosso baixo orçamento você vai ter que lidar com algum tipo de reforço em alguma região de frequência, ou talvez também deixe de ouvir frequências muito graves ou muito agudas. Pra minimizar esses efeitos, use um analisador de espectro (como o gratuito Voxengo Span) no canal Master da sua DAW: se alguma região de frequência estiver muito mais alta que as outras, você vai ter que tentar equalizar “às cegas”: você provavelmente não está ouvindo as sobras de frequência porque seu fone não as reproduz, mas elas ainda estão lá e precisam ser trabalhadas.

Opções de baixo custo, em ordem do menor para o maior custo (exceto pela última, considere que são opções temporárias, pois limitam muito o que você conseguirá atingir em termos de mixagem):

  • Philips SHL5000
  • AKG K404
  • Behringer HPM1000
  • AKG K240 mkII (único de nível semiprofissional desta lista)

Interface de áudio

Tascam E MIDI USB US-1x2

Prioridade: média

Uma interface de áudio, como já expliquei neste post, é uma espécie de placa de som de uso profissional. Entre outras coisas, ela propicia que você grave instrumentos e vozes sem latência e trazendo uma sonoridade melhor para um microfone tradicional.

Uma interface é um passo essencial para quem quer trabalhar profissionalmente com música, mas para quem está nessa pelo hobbie, talvez não seja um investimento prioritário.

Opções para quem está começando:

  • Focusrite Scarlett Solo
  • Behringer UM-2
  • Tascam E MIDI USB US-1×2

Algumas dessas fabricantes também vendem pacotes com interface, fone e microfone. Esses pacotes podem ser uma boa forma de começar seu home studio!

Microfone

Prioridade: média ou baixa (dependendo do estilo que você pretende produzir)

CAD GXL-2600 USBPra gravar vozes, instrumentos acústicos, ou conseguir uma melhor sonoridade com instrumentos amplificados, você vai precisar de um microfone.

Dependendo dos seus objetivos, você pode optar por um combo microfone+interface (melhor pra quem pretende expandir no futuro, pois permite upgrades separados de ambos os equipamentos) ou por um microfone USB, que dispensa o uso de interface para gravação.

Existem microfones dinâmicos e condensadores, com vários padrões polares – expliquei as diferenças neste post. Pra começar, você provavelmente vai querer um condensador de cápsula larga, se for gravar mais voz ou violão; ou um dinâmico, se for gravar guitarra, baixo ou outros instrumentos com amplificador. Microfones USB voltados para música normalmente são condensadores, e se você escolher essa opção, também poderá gravar guitarras e baixos normalmente.

Marcas com um bom custo-benefício pra começar são Behringer, Superlux e Samson. Algumas opções:

  • Superlux PRA 238b
  • CAD GXL-2600 USB
  • Behringer B2

Controladores MIDI

Prioridade: Baixa

Novation LaunchKEY-25Controladores MIDI são instrumentos que permitem a você tocar diretamente os instrumentos virtuais (explicados mais adiante) no computador. Normalmente os controladores são teclados com 25, 37, 61 ou 88 teclas, mas também existem os pads (muito usados por quem faz música eletrônica), guitarras MIDI, controladores de sopro e outros.

Não é essencial ter um controlador para fazer música no PC (você pode usar o mouse para escrever as notas MIDI em cada instrumento, ou tentar tocar com o próprio teclado do computador), mas mesmo para quem faz música por hobby eu aconselho adquirir um controlador – quando a grana permitir, claro! Em geral, é bem mais inspirador tocar um instrumento do que sair clicando nas notas com um mouse…

Algumas opções relativamente em conta de controlador são:

  • Korg Nanokey
  • Korg MicroKey
  • M-audio Keystation

Programas

DAW

Prioridade: Essencial

DAWs, ou Digital Audio Workstations, são os programas de base para produção musical. Neles, você vai gravar instrumentos reais e virtuais, criar múltiplas pistas, estruturar sua música, mixar e exportar um arquivo de áudio.

Existem algumas DAWs gratuitas, mas as mais poderosas são pagas. No entanto, nem sempre um alto custo te entrega o melhor resultado. Vamos ver as opções gratuitas (e uma barata):

  • MuLab
  • OHM Studio
  • Ardour
  • Soundation
  • Studio One Prime
  • Reaper

Veja mais detalhes na galeria abaixo (clique para expandir):

Veja mais opções neste post.

Plugins

Prioridade: Alta

Plugins são essenciais para fazer música em um home studio. Entre instrumentos virtuais e processamento de efeitos, eles oferecem a possibilidade de fazer música sem que você precise comprar (e saber tocar) todos os instrumentos do seu arranjo, e depois permitem que você mixe sua música com compressores, reverbs, delays e o que mais você precisar.

Existem plugins muito caros por aí, mas é possível fazer músicas de excelente sonoridade sem gastar nada com instrumentos virtuais e efeitos. Confira uma pequena seleção dos meus plugins gratuitos favoritos:

Instrumentos

Spitfire LABS – A Spitfire produz algumas das melhores (e mais caras) bibliotecas de samples orquestrais do mercado. Mas também tem produtos gratuitos! A linha LABS conta com uma série de instrumentos de sonoridade sensacional, e você não gasta um centavo por eles.

Komplete StartKomplete Start – Recentemente, a Native Instruments lançou um pacote gratuito de excelente qualidade, chamado Komplete Start. Ele é uma versão reduzida do carro-chefe da empresa, o pacote Komplete, mas mesmo assim vem com uma coleção de excelentes plugins (tanto de instrumentos sampleados quanto de sintetizadores e efeitos).

sforzando – O sforzando é um sampler – ou seja, não tem som próprio, mas serve para tocar bibliotecas de som fornecidas por diversos fabricantes. Ele toca o formato .sfz, além de soundfonts (muito usadas para replicar sons de games da era 16-bit, como Super NES e Mega Drive) e samples “crus” em formato .wav. Toca muito bem várias boas bibliotecas de samples gratuitas, então vale a pena tê-lo instalado!

MT Power Drum KitMT Power Drum Kit (gratuito) – Excelente para arranjos de rock e metal.

99 Drum Kit (gratuito) – Excelente pacote gratuito com foco em sonoridades de baterias eletrônicas vintage. Roda no Kontakt, ou jogando diretamente os sons na sua DAW. Vale a pena explorar os outros sons gratuitos que o site oferece!

Sonatina Symphonic Orchestra (gratuito) – A biblioteca orquestral gratuita mais popular hoje em dia (até porque, de graça, não existem muitas). Roda no sforzando.

Piano in 162 (gratuito) – Roda tanto no Kontakt como no sforzando e possui excelente sonoridade (melhor que muitos pagos!).

Ample BassAmple Bass P Lite – O Precision Bass virtual da Amplesound oferece a melhor simulação de baixo elétrico que eu já usei, mesmo comparando com bibliotecas pagas. Especialmente bom para rock e pop.

Triple Cheese – uma pequena amostra do poder de fogo dos sintetizadores da u-he, o Triple Cheese vai deixar seus timbres mais cremosos e amarelos. Sim, eu fiz essa piada.

TAL-NoiseMaker – a Togu Audio Line tem uma linha bem grande de plugins gratuitos, e eles cumprem muito bem sua função. O NoiseMaker tem uma interface limpa e direta, tornando este um ótimo candidato para você aprender a montar seus próprios timbres sem temer aquele monte de parâmetros e recursos que os outros synths jogam na sua cara.

Magical 8bit Plugin – procurando sons de consoles de videogames antigos? Este synth, mesmo sem possuir uma interface própria, traz um som perfeito para chiptunes e músicas inspiradas na era 8-bit dos videogames. Funciona em Windows e Mac!

Dexed – pra quem gosta de uma sonoridade anos 80-90 (ou está tentando emular os sons do saudoso Mega Drive), o Dexed é uma excelente opção. Com um pouquinho de trabalho você consegue instalar um pacote de presets que também é oferecido gratuitamente (siga as instruções, em inglês, no site do Dexed).

Mais: VSTBuzz Freebies,  12 of the best free VST/AU plugin synths – Music Radar e The 7 Best Free Soft Synth VST Plugins – Landr Blog

Efeitos

Kjaerhus Audio Classic SeriesKjaerhus Audio Classic Series – O pacote gratuito da Kjaerhus é um excelente ponto de partida para quem está começando com uma DAW que venha com poucos efeitos nativos, como o Reaper ou as versões mais simples das demais. A interface é simples, mas é possível extrair sons bem interessantes!

Amplitube Custom Shop – pra quem toca guitarra ou baixo e não está satisfeito com os sons da versão enxuta do Guitar Rig (que vem no Komplete Start, mencionado acima), o simulador de amplificadores e efeitos de guitarra/baixo Amplitube conta com uma versão “gratuita”. Na verdade, trata-se de uma espécie de plugin modular: você baixa gratuitamente o “essencial” do aplicativo (que vem com dois amplificadores de guitarra, um de baixo e alguns efeitos) e pode comprar outras simulações de amplificador e efeitos à parte. A verdade é que esses módulos gratuitos já são de excelente qualidade, não apenas para guitarras e baixos reais, mas até para dar um pouco mais de vida a instrumentos sampleados e sintetizadores. Experimente!

dBlue GlitchGlitch – O desenvolvedor dBlue, também conhecido como illformed, disponibiliza de graça a primeira versão de um dos plugins mais usados para “estragar” sons em música eletrônica: o Glitch (no site, procure por “Free VST Plug-ins”). Numa veia mais extrema de processamento de áudio, o Glitch serve para fatiar, diminuir a resolução de áudio, fazer efeito de fita cassete parando, entre outras coisas – tudo isso respeitando o andamento da DAW e podendo ser aleatorizado. Bem divertido!

A1TriggerGate – Essencial para quem produz música eletrônica ou quer colocar um toque desse estilo nas composições, o A1TriggerGate fatia tudo no ritmo e com muita competência.


Com essas opções, você já consegue produzir música com uma qualidade bacana sem gastar muito! Naturalmente, o tamanho do investimento vai depender muito do estilo de música que você pretende criar – se for música puramente eletrônica, você pode começar investindo apenas em um bom fone de ouvido e já vai conseguir fazer muita coisa, mas se quiser gravar instrumentos vai precisar de uma interface e/ou de um microfone.

E aí, a lista ajudou? Tem alguma outra sugestão pra acrescentar? Deixe nos comentários!

Autor: Thiago Schiefer

Thiago Schiefer é um compositor de São Paulo. Focado principalmente em música e efeitos sonoros para games nos últimos anos, é compositor e sound designer na Tapps Games, a maior empresa brasileira de jogos para smartphones. Criou também todos os sons para jogos como Eliosi's Hunt e Drop Dead Twice. Em sua carreira solo, lançou dois álbuns: Prototype: Freedom (2013) e Living Room Sessions (2015).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s